DSC_0551 (2)

Cooperativa de Crédito apresenta propostas no Sindimetal

Indústrias associadas e filiadas ao Sindimetal Maringá foram convidadas a participar do encontro com a Uniprime, cooperativa de credito que trouxe aos presentes uma apresentação da cooperativa e ao conhecimento dos empresários os produtos de créditos e investimentos em comparativo com o mercado.

O encontro aconteceu na noite do dia 25 de julho, na Sede do Sindimetal Maringá.

Mais informações referentes a Uniprime – com Francisco: (44) 99184 8932

juridico 18

Mudanças na Legislação é tema de Encontro Jurídico no Sindimetal

MUDANÇAS NA LEGISLAÇÃO: EVITE MULTAS, PENALIDADES  POR FISCALIZAÇÕES E PASSIVO TRABALHISTA, é tema de encontro jurídico com RH, realizado no próximo dia 18, no Sindimetal Maringá.

Por meio do encontro, os participantes terão informações de como identificar situações que podem gerar ações trabalhistas e multas em sua empresa; exemplos de boas práticas de gestão preventiva: Departamento pessoal, Folha de pagamento, Segurança do trabalho, entre outros.

A palestra será ministrada pelo Advogado do Sindimetal, Reginaldo Farias. Graduado em Direito pela PUC/PR em 2009, e pós graduado em Direito do Trabalho e Previdenciário pelo IDCC – Instituto de Direito Constitucional e Cidadania. Com formação de Técnico de Segurança do Trabalho em 2002.

A participação para indústrias associadas ao Sindimetal Maringá é gratuita.

Inscrições: AQUI

Inscrições para participação (por pessoa):
-R$ 25,00 para indústrias associadas
aos Sindicatos Industriais Parceiros
-R$ 50,00 para indústrias não associadas aos
Sindicatos Industriais

 

SERVIÇO

Encontro com RH – Palestra Jurídica

18/07/2018

ás 8h15, no Sindimetal Maringá

Avenida Guedner, 3041.

Mais informações:

Sindimetal Maringá – 44 3224-4186

sindimetal@sindimetalmaringa.com.br

 

ações

Reoneração da Folha e Alteração no Reintegra serão ações ajuizadas pela Fiep em parceria com o Sindimetal

A Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) em parceria com os sindicatos industriais proporá nos próximos dias Ação Ordinária Coletiva, na Justiça Federal de Curitiba,  referente à Reoneração da Folha, da com o objetivo de questionar a Lei Federal n.º 13.670/18 publicada dia 30 de maio de 2018, que reonera diversos setores produtivos, que voltarão a pagar contribuição patronal à Previdência Social mais cara. A ação almeja que a exclusão dos setores reonerados se aplique apenas para o ano de 2019 (em virtude do princípio da anterioridade) e que observe a opção anual irretratável feita pelas empresas para o atual exercício financeiro.

Outra ação a ser ajuizada é referente a Alteração no Reintegra, que visa reverter a modificação do programa que possui o objetivo de ressarcir custos tributários das indústrias exportadoras.

Considerando a medida governamental que reduziu a alíquota de apuração de créditos do REINTEGRA, em prejuízo das empresas exportadoras (medida anunciada em 01 de junho, por Decreto nº 9.393/18). A ação almeja que tal redução se aplique apenas para o ano de 2019 (em virtude do princípio da anterioridade) ou, na pior das hipóteses, que se aplique apenas depois de 90 dias (em virtude do princípio da anterioridade nonagesimal). O REINTEGRA sofreu redução semelhante no ano de 2015 e muitas empresas e entidades manejaram ações com os mesmos fundamentos. O STF se posicionou favoravelmente em alguns casos. O pedido da Federação se baseia no reflexo equivalente à majoração da carga tributária.

As ações ajuizadas beneficiarão exclusivamente as indústrias associadas aos Sindicatos filiados a Federação das Indústrias do Estado do Paraná.

rumo

Rumo e Senai assinam parceria para projetos de inovação em Maringá

Fonte: Agência Fiep

Fomentar novas ideias, desenvolver tecnologias e otimizar a segurança da operação ferroviária no Paraná. A Rumo e o Senai assinaram, em 25 de junho, um termo de Cooperação Tecnológica com o objetivo de realizar uma série de ações dentro do novo complexo no Instituto Senai de Inovação em Engenharia de Estruturas (ISI-EE), em Maringá, Paraná. O Instituto estará em plena capacidade no segundo semestre de 2019, terá aporte financeiro superior a R$ 40 milhões.

A parceria estabelece a elaboração, em conjunto, de projetos de pesquisa, desenvolvimento e Inovação (PD&I) com o objetivo de fortalecer o desenvolvimento do modal ferroviário no Brasil.

De acordo com o diretor de Tecnologia da Rumo, Roberto Rúbio Potzmann, a formalização da parceria é fundamental para estreitar as recentes discussões sobre os investimentos no transporte de cargas pelos trilhos. “O objetivo é desenvolver soluções que otimizem os custos da operação ferroviária e contribuam para o desenvolvimento do modal no Paraná e nos outros cinco estados em que a companhia circula”, afirma.

A concessionária contará com um laboratório exclusivo no ISI-EE. O local será utilizado para o desenvolvimento de vagões mais leves, técnicas inovadoras em obras civis ferroviárias, projeção dinâmica de traçados, homologação e rating de fornecedores, transferência de tecnologia para o desenvolvimento de fornecedores locais, entre outros.

“O trem ainda tem sua imagem vinculada à primeira revolução industrial. Agora, mais de 200 anos depois, estamos falando da Indústria 4.0 e das transformações constantes no setor”, destaca Potzmann.

A estrutura do Senai pretende fortalecer o relacionamento da indústria paranaense com a pesquisa aplicada, através também de parcerias com universidades e startups. “O ISI em Engenharia de Estruturas será uma referência não somente para a engenharia ferroviária, mas para todas as indústrias que buscam soluções inovadoras no seu modelo de negócio”, destaca o diretor Regional do Senai, José Antonio Fares.

O ISI-EE terá laboratórios de realidade virtual, simulação computacional, materiais compósitos, cimentícios e madeira, ensaios dinâmicos de grandes estruturas, técnicas ópticas e laser para avaliação e deformação e vibração, além de vários equipamentos de instrumentação para aquisição de dados em campo, para atender às mais diversas demandas da área de estruturas.

Sobre a Rumo

A Rumo é a maior operadora de ferrovias do Brasil e oferece serviços logísticos de transporte ferroviário, elevação portuária e armazenagem. Sua base de ativos inclui uma rede ferroviária formada por quatro concessões que totalizam mais de 12 mil km de linhas férreas, 1.000 locomotivas e 25.000 vagões, além de centros de distribuição e instalações de armazenamento.

DSC_0243

eSocial é tema de encontro e participantes tiram dúvidas

Com a proximidade da obrigatoriedade do eSocial para as empresas as dúvidas sobre o tema surgem a todo momento. Por esse motivo, e como tema mais votado no encontro do mês de maio, o Sindimetal Maringá, por meio de sua assessoria jurídica, representada pelo advogado Reginaldo Farias, trouxe para associados e sindicatos parceiros a décima sétima edição do Encontro com RH, Palestra Jurídica, com o tema: Você conhece o eSocial?

Dentro do tema abordado, foram discutidos também subtemas como: Sua empresa já está obrigada a implantar o eSocial? Qual o impacto do eSocial na sua empresa? O que muda em relação a saúde e segurança do trabalho com o eSocial?

O encontro teve ainda a participação da consultora em segurança do Sesi Maringá, Carolina Zagoto.

Participaram cerca de 50 empresas que puderam tirar suas dúvidas e entender um pouco mais como funcionará essa ferramenta.

“Neste encontro abordamos as respostas a alguns questionamentos e a maneira como as empresas devem se preparar para atender as novas práticas em relação ao eSocial. Ainda, como deverão ser as relações entre EMPREGADORES, EMPREGADOS E GOVERNO a partir da implementação desse sistema. A implantação do eSocial esta ocorrendo em cinco fases, incluindo micros e pequenas empresas e MEIs que possuam empregados, cuja utilização obrigatória está prevista a partir de 16 de julho de 2018, é preciso ficar atento”, falou o advogado do Sindimetal, Reginaldo Farias.

Para o mês de julho acontecerá um novo encontro.

Comunicado-CSA-870x430

Expediente Sindimetal nos jogos do Brasil na Copa

Comunicado _ expediente Copa do Mundo

adesao

Aplicativos para adesão ao PERT-Simples Nacional e PERT-MEI já estão disponíveis

Os aplicativos para adesão ao Programa Especial de Regularização Tributária das ME e EPP optantes pelo Simples Nacional (PERT-SN) e Simei (PERT-MEI) na RFB já estão disponíveis.

O pedido de adesão deve ser realizado até o dia 09/07/2018.

O PERT, instituído pela Lei Complementar nº 162/2018 e regulamentado pelas Resoluções CGSN 138/2018139/2018, oferece parcelamento com reduções nos valores de juros e multas, para os débitos apurados no Simples Nacional ou no Simei de períodos de apuração (PA) até 11/2017.

O pedido de adesão ao PERT para os débitos de Simples Nacional e Simei em cobrança na RFB é realizado, exclusivamente, pela internet, no portal do Simples Nacional ou no Portal e-CAC da RFB.

No portal do Simples Nacional, acesse:

  • Para débitos apurados no Simples Nacional: Simples/Serviços > Parcelamento > Programa Especial de Regularização Tributária – PERT-SN;
  • Para débitos apurados no Simei: Simei/Serviços > Parcelamento > Programa Especial de Regularização Tributária – PERT-MEI.

São 3 (três) as modalidades de adesão ao PERT, tanto para débitos apurados no Simples Nacional como para débitos no Simei.

Para qualquer uma das 3 modalidades, é necessário pagar 5%, como entrada, do valor da dívida consolidada, sem reduções. Essa entrada pode ser paga em até 5 parcelas mensais e sucessivas, observando o valor mínimo da parcela.

 

O valor restante (95% da dívida consolidada), pode ser regularizado em:

  • Parcela única: com redução de 90% dos juros de mora, 70% das multas de mora, de ofício ou isoladas e 100% dos encargos legais, inclusive honorários advocatícios;
  • Em até 145 parcelas: com redução de 80% dos juros de mora, 50% das multas de mora, de ofício ou isoladas e 100% dos encargos legais, inclusive honorários advocatícios;
  • Em até 175 parcelas: com redução de 50% dos juros de mora, 25% das multas de mora, de ofício ou isoladas e 100% dos encargos legais, inclusive honorários advocatícios.

OBSERVAÇÕES:

  1. A escolha da modalidade ocorre no momento da adesão, sendo irretratável.
  2. O valor mínimo da parcela é de R$ 300,00 para débitos de Simples Nacional e de R$ 50,00 para débitos do Simei.
  3. A empresa não optante pelo Simples Nacional ou Simei pode aderir ao PERT, caso tenha débitos desses regimes.
  4. Os débitos da empresa baixada podem ser incluídos no PERT. Ao realizar o pedido, informe o CNPJ da empresa (para pedido na RFB).
  5. A empresa que tenha débitos de Simples Nacional e débitos de Simei pode solicitar dois pedidos, um para cada regime de tributação.
  6. Aqueles contribuintes que já possuem um pedido de parcelamento ativo devem desistir do parcelamento, previamente, para a inclusão desses débitos no PERT, ressaltando que apenas os débitos até o PA 11/2017 poderão ser incluídos.
  7. Para débito de Simples Nacional inscrito em Dívida Ativa da União, o aplicativo para adesão e demais informações estão disponíveis no portal e-CAC da PGFN.

CONSULTE O MANUAL DO PERT, para mais informações.
SECRETARIA-EXECUTIVA DO COMITÊ GESTOR DO SIMPLES NACIONAL

Print

Dia de jogo do Brasil na Copa do Mundo não é feriado!

 

Os dias dos jogos da seleção brasileira, não são considerados feriados. A dispensa para assistir aos jogos, depende de acordo entre empregador e empregado.

Por não se tratar de uma folga obrigatória, as empresas podem exigir que os trabalhadores compensem depois as horas não trabalhadas durante os jogos da Copa.

 

A reforma trabalhista em vigor desde novembro de 2017, passou a estabelecer em seu artigo 59, que é lícito o regime de compensação de jornada estabelecido por acordo individual, tácito ou escrito, para a compensação no mesmo mês.

 

Se a compensação de horas ocorrer em outro mês, as regras mudam. Caso a compensação ocorra em até seis meses, o acordo deve ser feito por escrito. Se for em 01 (um) ano, precisa passar pelo sindicato dos trabalhadores da categoria.

 

O acordo de compensação deve respeitar o limite de horas diárias, nestas já computadas a jornada normal e eventuais compensações de jornada, como é o caso do sábado.

 

Mesmo para os casos em que o Empregador opta por oferecer espaços para os funcionários assistirem aos jogos da Copa nas dependências da empresa, poderá ser exigido que o trabalhador compense depois o tempo em que parou, desde que durante o período em que ficar assistindo aos jogos, não esteja a serviço da empresa e não receba ordens, CLT, Artigo 4º § 2º.

 

Se um empregado não for trabalhar nos dias e/ou horários dos jogos deliberadamente, será uma ausência não justificada. O empregador pode dar uma punição, uma advertência verbal ou escrita, inclusive realizar o desconto em folha.

 

Neste mesmo sentido já se manifestou o Ministério do Trabalho. Veja a íntegra da notícia clicando [1] AQUI

 

A Copa do Mundo como todos sabemos, ocorre a cada 04 anos, e é considerada uma das paixões nacionais, sendo, portanto, uma oportunidade para a empresa integrar a equipe, priorizando o relacionamento entre empresa e empregado, neste momento de descontração.

[1] http://trabalho.gov.br/noticias/5964-folga-nos-jogos-do-brasil-pode-ser-compensada-mediante-acordo-entre-empresas-e-trabalhadores

[1] http://trabalho.gov.br/noticias/5964-folga-nos-jogos-do-brasil-pode-ser-compensada-mediante-acordo-entre-empresas-e-trabalhadores
Fonte: Ministério do Trabalho
http://trabalho.gov.br/noticias/5964-folga-nos-jogos-do-brasil-pode-ser-compensada-mediante-acordo-entre-empresas-e-trabalhadores

e social logo

Sindimetal promove palestra sobre eSocial

Você conhece o eSocial?
Sua empresa já está obrigada a iniciar a implantação do eSocial?
Qual o impacto do eSocial na sua empresa?
O que muda em relação a Saúde e Segurança do Trabalho
com a implantação do eSocial?

Neste encontro serão abordadas as respostas aos questionamentos acima e a maneira como as empresas devem se preparar para atender as novas práticas em relação ao eSocial. Ainda, como deverão ser as relações entre EMPREGADORES, EMPREGADOS E GOVERNO a partir da implementação desse sistema. A implantação do eSocial esta ocorrendo em cinco fases, incluindo micros e pequenas empresas e MEIs que possuam empregados, cuja utilização obrigatória está prevista para 16 de julho de 2018. Fique atento!

Palestrantes: Reginaldo Farias/Sindimetal Maringá e Carolina Zagoto/Sesi Maringá.

20/06/2018 – às 8h15 – Na Sede do Sindimetal Maringá

Inscrições para participação (por pessoa):

-Gratuita para indústrias associadas ao Sindimetal

-R$ 25,00 para indústrias associadas
aos Sindicatos Industriais Parceiros

-R$ 50,00 para indústrias não associadas aos
Sindicatos Industriais

Mais informações: (44) 3224-4186
sindimetal@sindimetalmaringa.com.br

brasil mais produtivo

Programa Brasil Mais Produtivo (B+P), inscrições até 17/06

O Programa Brasil Mais Produtivo (B+P), que  visa aumentar a produtividade em processos produtivos na indústria, com a promoção de melhorias rápidas, de baixo custo e alto impacto, estão com as inscrições abertas!

Mas atenção, as vagas são limitadas e inscrições terminam no dia 17/06.

Saiba mais acessando o site: http://www.brasilmaisprodutivo.gov.br/home.aspx e já faça seu cadastro.

Não perca esta oportunidade de fazer a sua indústria crescer!

 

Brasil Mais Produtivo