indstria_lwC2pD0

SENAI lança plataforma e cursos gratuitos de indústria 4.0 para empresas

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) lançou, nessa quinta-feira (15), em Florianópolis, uma plataforma na qual os empresários poderão fazer o diagnóstico online do estágio tecnológico de suas empresas. A avaliação servirá de base para elaboração de um plano individualizado de inserção na indústria 4.0 – termo que define o uso de tecnologias digitais nos processos produtivos desde o desenvolvimento até o uso. O teste de maturidade e o plano de evolução tecnológica são gratuitos a empresas de todos os portes e setores.

Os empresários interessados no tema também terão a oportunidade de participar de workshops e cursos rápidos e gratuitos para entender conceitos, oportunidades e riscos da quarta revolução industrial. O lançamento das iniciativas do SENAI nesse campo foi feito pelo presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, e pelo diretor-geral do SENAI, também superintendente do Serviço Social da Indústria (SESI), Rafael Lucchesi, durante a inauguração do Instituto SENAI de Inovação em Sistemas Embarcados e do Centro de Inovação SESI em Tecnologias para Saúde, em Santa Catarina.
Neste ano, o SENAI vai ofertar ainda 11 cursos de aperfeiçoamento para qualificar os profissionais que vão trabalhar com tecnologias da indústria 4.0. Os alunos terão conhecimentos introdutórios em temas como inteligência artificial, big data, internet das coisas, segurança cibernética, entre outros. Na lista está o curso online“Desvendando a Indústria 4.0”, que será ofertado gratuitamente. A instituição já possui cursos de pós-graduação ligados ao conceito, como o MBI em Indústria Avançada, em Santa Catarina, e o MBI em Confecção 4.0, no Rio de Janeiro, oferecido pelo SENAI Cetiqt.

PRODUTIVIDADE – Durante o evento, Robson Braga de Andrade leu a “Carta Indústria 4.0”, na qual a instituição avalia que a também chamada manufatura avançada é a “grande oportunidade que a indústria brasileira precisa para se tornar mais produtiva. Processos mais ágeis representam maior produtividade, que, por sua vez, reflete-se em maior investimento e mais empregos. É o caminho para o desenvolvimento do País”, afirma o documento. “É preciso ver este momento não como ameaça, mas como uma grande oportunidade de tornar o setor industrial mais produtivo e inovador e, consequentemente, mais competitivo”, completa.

De acordo com o presidente da CNI, a iniciativa busca estimular a atualização tecnológica no Brasil o mais rápido possível. “O Sistema Indústria tem uma preocupação nesta nova fase, que é a 4.0 e alguns já falam em 5.0, que é ajudar a indústria brasileira a se inserir de uma forma muito rápida. As indústrias que vão sobreviver são as que vão investir em tecnologia e inovação”, afirmou Robson Braga de Andrade.

 

Ao lançar a plataforma online, o diretor-geral do SENAI afirmou ser importante que as empresas entendam onde estão situadas em termos de maturidade na adoção de métodos, técnicas e estratégias em indústria 4.0. Com base no diagnóstico, serão traçados planos de digitalização específicos a cada uma. Segundo ele, mais de mil consultores e mais de 500 pesquisadores, presentes em todo o Brasil, estarão disponíveis para prestar consultoria às empresas interessadas na atualização tecnológica.

“O maior desafio da indústria brasileira é se preparar para as transformações da indústria 4.0. A indústria precisa ser a protagonista desse processo no Brasil e o SENAI está pronto para ser seu principal parceiro nessa trajetória, seja na formação de recursos humanos ou na oferta de serviços técnicos e tecnológicos”, explica Lucchesi.

 

carta do SENAI sobre indústria 4.0 aponta quatro passos para as empresas brasileiras se atualizarem tecnologicamente:

1)    Enxugar processos: a recomendação é que, antes de digitalizar seus processos, a empresa adote métodos gerenciais e práticas organizacionais, como eficiência energética, produção limpa e lean manufacturing, técnica que reduz desperdícios com medidas de baixo custo, com excelentes resultados no aumento de produtividade.

2)    Qualificar trabalhadores: é fundamental qualificar os profissionais das empresas em técnicas como programação, robótica colaborativa e análise de dados, assim como desenvolver competências socioemocionais com métodos para estimular a criatividade, o empreendedorismo, a liderança e a comunicação.

 3)    Empregar tecnologias disponíveis e de baixo custo: o SENAI recomenda que as tecnologias da indústria 4.0 sejam empregadas, em um primeiro momento, para as empresas aprenderem o que está ocorrendo no seu chão de fábrica e sejam mais ágeis nas decisões. A sugestão é a utilização de soluções de baixo custo, como sensoriamento, internet das coisas, computação em nuvem e big data para melhor compreensão do processo produtivo, e de técnicas como “advanced analytics” e inteligência artificial para prever problemas que afetam a produtividade, como quebras de máquinas.

4)    Investir em pesquisa, desenvolvimento e inovação: a fim de serem mais competitivas e oferecerem melhores produtos, as empresas precisam investir em inovação. A recomendação é que os empresários tenham como objetivo a implantação de fábricas inteligentes, flexíveis e ágeis, conectadas com suas cadeias de fornecimento e com capacidade de customização em massa de seus produtos, estágio mais avançado da indústria 4.0.

designer grafico

BRDE e Fiep vão ampliar crédito para empresas inovadoras

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e o Sistema Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná), por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Paraná), vão trabalhar juntos para ampliar o financiamento a empresas inovadoras. O acordo de cooperação técnica entre as instituições foi assinado em 12 de março.

Em parceria com os Institutos Senai de Inovação, o BRDE fomentará projetos do setor, especialmente por meio da linha de financiamento Inovacred. O acordo foi assinado pelo diretor-presidente do Banco, Orlando Pessuti, o diretor de Operações João Luiz Regiani, o presidente da Fiep, Edson Campagnolo, e o diretor do Departamento Regional do Senai Paraná, José Antonio Fares.

“Com essa parceria e a estrutura física do Senai poderemos atender todos os municípios do Paraná, consolidando a marca do BRDE como maior repassador de linhas para inovação no país, e ampliando o acesso ao crédito de micro, pequenos e médios empreendedores”, disse Pessuti.

Ele mostrou números do BRDE em relação a investimentos na indústria e em inovação. Nos últimos cinco anos, as contratações do Banco no setor industrial paranaense chegaram a R$ 1,1 bilhão. No setor de inovação, as operações no mesmo período somaram R$ 106 milhões.

Campagnolo disse que a parceria representa a força do empreendedorismo no Paraná. De acordo com ele, o novo acordo reforça as ações conjuntas já desenvolvidas pela Fiep, Senai, BRDE e Finep. “Essa ação integrada permitiu o surgimento de novas empresas e o fortalecimento das já estabelecidas”.

“Essa parceria sinaliza que buscamos políticas para o desenvolvimento social, econômico e tecnológico do Paraná e nos demais estados do Sul do país”, disse o diretor do BRDE João Regiani, que destacou a importância da Finep nos investimentos do BRDE em empresas e projetos inovadores.

“Esse é um momento essencial para o trabalho desenvolvido pelo Senai, com foco na educação tecnológica e apoio às indústrias para que possam investir em inovação”, afirmou o diretor regional da instituição, José Antonio Fares. O diretor informou que são nove institutos de inovação no Paraná, com alto grau de tecnologia, à disposição das indústrias. “Agora vamos fomentar a vinda de empresas para os institutos”.

ACORDO – Pelo acordo, serão desenvolvidas ações conjuntas para viabilizar o apoio creditício a empresas inovadoras, por meio da avaliação do mérito tecnológico e de inovação de projetos apresentados e demais requisitos de enquadramento para as linhas de financiamento disponíveis. “É mais um instrumento de fomento à inovação em nosso Estado”, afirmou a superintendente do BRDE no Paraná, Juliana Dallastra.

O BRDE é atualmente o maior repassador do Brasil de linhas de inovação. A linha Inovacred financia empresas com projetos inovadores na área de produtos, processos, gestão e marketing, podendo financiar pesquisa, desenvolvimento e testes de conceito, simulações, adaptações de tecnologias, ensaios, certificações e outros. Pode ser acessada também para financiar a instalação de empresas dentro de parques tecnológicos.

Representantes da Financiadora de Estudos Projetos (Finep), parceira do BRDE no repasse de recursos à inovação, acompanharam o evento.

 

Fonte: AEN

a3e1a2a7-4785-468c-bd82-f2fc47a043cd

Workshop sobre E-social conscientiza empresários e Rhs das indústrias

Promovido pelo Sesi, em parceria com o Sindimetal Maringá, aconteceu na Casa da Indústria nos dias 20 e 22 de março um Workshop com o tema: E-Social – Obrigatório a partir de junho, sua empresa está preparada?

Ministrada pela Técnica em Segurança do Trabalho do Sesi em Maringá, Carolina Zagoto, o Workshop contou com a presença de mais de 130 pessoas, entre empresários e profissionais de Recursos Humanos.

Esta é um ação que faz parte do Programa do Sesi Sustentabilidade que visa proporcionar conhecimento e interação com as indústrias, promovendo ações que auxiliem no dia a dia da empresa e de seus colaboradores.

No Workshop foram debatidos temas:

-Quais itens de SST são mais críticos ao meu negócio;
-Qual o impacto financeiro minha empresa  está sujeita com a chegada do e-Social;
-Qual a mudança de rotina para o RH com os dados de SST;
-Tenho o PPRA e o PCMSO, isto me basta com o e-Social?

Sobre o E-Social:

Obrigatório no país a partir de janeiro de 2018, o E-Social será a nova forma de prestação de informações do mundo do trabalho que entrará em vigor no Brasil e integrará a rotina de mais de 18 milhões de empregadores e 44 milhões de trabalhadores. O E-Social é um projeto conjunto do governo federal que integra  Ministério do Trabalho, Caixa Econômica, Secretaria de Previdência, INSS e Receita Federal.

A iniciativa permitirá que todas as empresas brasileiras possam realizar o cumprimento de suas obrigações fiscais, trabalhistas e previdenciárias de forma unificada e organizada, reduzindo custos, processos e tempo gastos hoje pelas empresas com essas ações.

Na prática, o E-Social instituirá uma forma mais simples, barata e eficiente para que as empresas possam cumprir suas obrigações com o poder público e com seus próprios funcionários. Quando totalmente implementado, o E-Social representará a substituição de 15 prestações de informações ao governo – como GFIP, RAIS, CAGED e DIRF – por apenas uma.

Além disso, o E-Social também não introduzirá  nenhuma nova obrigação ao setor empresarial. As informações que serão encaminhadas ao programa já precisam ser registradas hoje pelas empresas em diferentes datas e meios, alguns deles ainda em papel.

Além dos avanços que traz ao setor produtivo – por meio da redução de burocracia e do ganho de produtividade – o E-Social também beneficiará diretamente a classe trabalhadora, uma vez que será capaz de assegurar de forma mais efetiva o acesso aos direitos trabalhistas e previdenciários.

A exemplo do módulo do E-Social voltado ao empregador doméstico, já em funcionamento desde de 2015, está sendo desenvolvida uma plataforma simplificada que também será direcionada a outras categorias de empregadores como as micro e pequenas empresas, MEIs – micro empreendedores individuais – e segurados especiais, por exemplo.

Em relação aos MEIs, é importante esclarecer que o E-Social será destinado apenas àqueles que possuam empregados. Sendo assim, a partir de julho de 2018, quando o E-Social torna-se obrigatório para este público, os micro empreendedores individuais continuarão usando o SIMEI, o sistema de recolhimento dos tributos em valores fixos mensais do Simples Nacional voltado para o microempreendedor, para geração da guia de recolhimento relativa à sua atividade como MEI. Aliado a isso, passarão a utilizar o E-Social para o cumprimento de obrigações trabalhistas, fiscais e previdenciárias relativas ao trabalhador que empregar .

 

 

 

feimec

Feimec 2018 entra na reta final

Há quase 30 dias de sua realização, a FEIMEC – Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos, marcada para o período de 24 a 28 de abril, no São Paulo Expo, comemora quase 100% de área comercializada.

 

A presença de mais de 450 expositores, mais de 700 marcas nacionais e internacionais, empresas âncoras em suas respectivas áreas de atuação, ampla programação e a moderna infraestrutura do pavilhão consolidam a FEIMEC, já na segunda edição, como a maior feira de máquinas e equipamentos da América Latina.

 

A abrangência dos segmentos representados confere ao evento o status de “feira completa”, onde empresários das mais variadas indústrias – automóveis e autopeças, petroquímica, alimentos e bebidas, metalurgia, embalagem e rotulagem, construção e infraestrutura, entre muitos outros – podem encontrar soluções inovadoras e tecnologia de ponta para atualizar seus parques fabris para atender ao aumento da demanda que se anuncia com a retomada do crescimento econômico.

 

A FEIMEC abrange uma ampla gama de conteúdo e experiências, com uma programação técnica orientada para as necessidades dos compradores e desenvolvida em parceria com universidades e associações técnicas relacionadas aos setores da feira.

 

A grade de palestras inclui o Simpósio da VDI, promovido em parceria com a Associação de Engenheiros Brasil-Alemanha, que neste ano terá como tema “Big Data Brasil: digitalizando competitividade”. Dada a relevância do tema e o desconhecimento que muitos empresários ainda têm para extrair valor dos dados armazenados, o Simpósio Internacional de Excelência em Produção da VDI-Brasil inclui a discussão de casos de aplicação real do Big Data em setores estratégicos, como Química e Farma, Alimentos e Embalagens e Indústria Metalomecânica. Os painéis são formados por especialistas da indústria e de universidades selecionados pelo VDI-Cluster Digitalização na Indústria.

 

Outros conteúdos relevantes farão parte do Workshop “Produtividade em Soldagem”, organizado pela AWS (American Welding Society) e do Fórum Revolução 4.0, realizado pela RP2M, uma das redes constituídas por iniciativa do MCTIC – Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

 

Como novidade na área de conteúdo, neste ano a FEIMEC abriga o Parque de Ideias, realizado em conjunto com as mais importantes universidades brasileiras ligadas à indústria: USP, ITA, FAAP, MAUÁ, UFSC e FEI entre elas, e que contempla uma área para exposição de projetos das Universidades e outra para realização de palestras técnicas.

 

Projeto inovador, o SEBRAE Móvel vai funcionar como um escritório sobre rodas dentro da feira, em que uma van customizada leva conteúdos sobre empreendedorismo e gestão aos empresários visitantes. O veículo é equipado com todos os instrumentos necessários para a realização de atendimentos presenciais feito por funcionários do SEBRAE-SP, aproximando a entidade das pessoas interessadas em ter seu próprio negócio ou numa melhora da gestão. Essa prestação do serviço, gratuita, inclui plano de negócios, orientações sobre gestão, formalização do microempreendedor individual (MEI), entre outros temas.

 

Uma das ações mais bem-sucedidas da FEIMEC, apresentada com exclusividade e ineditismo na edição de 2016, o Demonstrador de Manufatura Avançada está presente novamente à feira, com uma proposta ainda mais inovadora. Desenvolvido pela ABIMAQ e diversos parceiros, o demonstrador apresenta na prática e em tempo real os principais conceitos e tecnologias aplicadas à Indústria 4.0.

 

Iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos e da Informa Exhibitions, a FEIMEC oferece um ambiente ideal para a realização de networking e negócios. A relevância da feira para o desenvolvimento da atividade industrial é corroborada pelo apoio institucional de mais de 60 entidades que representam diferentes segmentos.

 

A FEIMEC é realizada no mais moderno centro de convenções da América Latina, o São Paulo Expo. Sua infraestrutura com padrão dos grandes pavilhões internacionais foi um dos pontos mais elogiados pelos expositores da primeira edição. O complexo oferece ambientes climatizado – que, além do conforto, proporciona maior economia na montagem dos estandes –, mais de 5 mil vagas de estacionamento (4.500 cobertas) e localização estratégica, fora da área de restrição municipal (rodízio), a 850 metros do metrô Jabaquara e a 10 minutos do aeroporto de Congonhas. Para quem optar pelo transporte coletivo ou chegar de fora de São Paulo, a organização da feira oferece transporte gratuito de ida e volta a partir do metro Conceição (Rua Guatapara 197 – próximo ao Centro Empresarial do Aço) e do aeroporto de Congonhas (ao lado do balcão da Infraero).

 

Industriais e demais profissionais interessados em conhecer previamente a lista e disposição dos expositores no pavilhão, podem baixar a planta oficial da feira no link https://tinyurl.com/plantafeimec2018.

IMG_3928

Sindimetal e Sebrae fomentam inovação nas empresas com subsídio de até 70%

Aconteceu no último dia 08, a reunião inicial do Programa Sebraetec, promovido pelo Sindimetal e Sebrae.

A reunião contou com a participação de 12 indústrias associadas. O Programar Sebraetec tem o objetivo de fomentar a inovação nas empresas por meio de serviços em sete áreas:

  • Design
  • Produtividade
  • Propriedade intelectual
  • Qualidade
  • Inovação
  • Sustentabilidade
  • Serviços Digitais

O programa aproxima os dois atores essenciais para a implementação da inovação: os pequenos negócios e os prestadores de serviços tecnológicos, isso com até 70% de subsídio para o serviço contratado.

São público-alvo do SEBRAETEC os clientes do Sistema SEBRAE, que estejam interessados em adquirir conhecimentos tecnológicos, além de práticas inovadoras, com CNPJ e as empresas associadas ao Sindimetal.

Credibilidade:

O Presidente do Sindimetal, Carlos Walter Martins Pedro, relatou na reunião a credibilidade e eficiência do Sebraetec. “Já utilizei o programa na minha empresa com muito sucesso. O empresário precisa estar atento às oportunidades que podem auxiliar no sucesso do seu negócio”, comentou.

O empresário Francisco Marcílio Vieira Neto, da Empresa Capsutec, que esteve na reunião ressaltou a importância de participar de programas como o Sebraetec. “Essa é a nossa oportunidade de alavancar pelo menos um setor de nossa empresa, resolver um problema gastando menos. Temos que aproveitar esse programa e sanar nossas dificuldades por meio de auxílio especializado e com economia”.

O empresário Rafael Margonato, da Metalúrgica Santa Fé, já fez uso do programa Sebraetec em sua empresa. “Viabilidade e baixo custo são os pontos principais desse programa. Com um bom subsídio conseguimos realizar boas ações em nossa empresa”, comentou.

Como participar?

Mais informações, entre em contato com o Sindimetal.

 

 

 

cursos-estudo-concurso-foto-internet-reprodução

Alumínio Perfileve promove graduação para colaboradores dentro da empresa

A capacitação profissional é um dos requisitos básicos para manter a qualidade da equipe e consequentemente da produtividade de uma empresa. O investimento em programas de qualificação favorece tanto o empregador quanto o funcionário, uma vez que o colaborador agrega valor para si e para a empresa.

Nossa associada, Alumínio Perfileve  sai na frente nesse programa, que em parceria com a Faculdade Cidade Verde, oferece aos seus colaboradores o Curso de Gestão da Produção Industrial.

Para esta etapa, o curso atenderá 25 colaboradores da empresa, que terão as aulas ministradas dentro do ambiente de trabalho. “Trouxemos a faculdade para dentro da empresa. Com um mercado cada vez mais competitivo, investir em novas técnicas de produção tornou-se  essencial  para o desenvolvimento de qualquer atividade empresarial, inclusive na Perfileve. Consequentemente investir na capacitação dos colaboradores tornou-se o ponto de partida. Entretanto, o desafio maior além de trazer a escola para a indústria, é “atrair” os colaboradores/alunos, os quais distantes dos bancos escolares há anos, tem a resistência da falta de tempo e a dificuldade de qualquer recomeço”, falou a coordenadora de recursos humanos da Perfileve, Mônica Concianci.

“A  motivação do time, o engajamento do colaborador, como também  o consequente incremento na produção, nos faz crê que estamos no caminho certo”, completa Mônica.

O colaborador Jhonatan Samuel Viana, que atua na área de processos da ferramentaria é um dos que participará do programa. Há 6 anos na empresa, ele fala da satisfação de poder ter um sonho realizado. “Incentivado pelo meu chefe, e com o interesse que eu já tinha em relação a um curso superior, vou começar a minha graduação. Moro perto da empresa, o que facilita e muito a minha busca ao conhecimento. Agradeço muito a empresa pela oportunidade”, diz.

 

Fonte: RH Alumínio Perfileve

 

juntos

A força do associativismo

Força do Associativismo

 

Fonte: Associação Comercial e Empresarial de Maringá

31ab0729-3f3e-4545-a83a-b29ad87c3e05 (1)

Projeto em parceria com o Sesi Paraná reúne empresários no Sindimetal

Aconteceu na última terça-feira (27), a apresentação de validação do Plano de Ação do ProjetoGestão Sustentável e Responsável das PMES. Esse encontro apresentou o desennho dos planos de ação com indicadores priorizados pelas empresas por meio da aplicação do Modelo Sesi de Sustentabilidade para Competitividade e Análise de Valor.

O encontro aconteceu na sede do Sindimetal Maringá e reuniu 10 indústrias.

As próximas ações acontecem ao longo do ano, por meio de workshops com as indústrias participantes.

Esta é mais uma ação em benefício do setor metalmecânico, especialmente às indústrias associadas ao Sindimetal, realizado em parceria com o Sesi Paraná.

31ab0729-3f3e-4545-a83a-b29ad87c3e05 (1)

d3369bbf-1dce-401d-a15c-d68b90811d63

032f514c-6bde-4094-acd3-d52b90a27ca5

Nova diretoria é empossada no Sindimetal

No último dia 26, aconteceu a reunião para apresentação de assuntos referentes ao setor e posse da Nova Diretoria do Sindimetal Maringá, Gestão 2018/2021.

Dentre os assuntos debatidos, estiveram:

-Planejamento das ações para 2018;

-Reforma Trabalhista.

Composta por novos membros,  a  diretoria gestão 2018/2021 teve a  oportunidade de discutir desafios do setor,  e também conhecer por meio de apresentação do Presidente, Carlos Walter Martins Pedro, os projetos referentes ao Instituto Senai de Tecnologia, que tem o objetivo de auxiliar os empresário do setor metalmecânico.

Após a reunião, os diretores foram recepcionados com um jantar.

Diretoria Gestão 2018 a 2021

Presidente:

Carlos Walter Martins Pedro

HIDRO METALÚRGICA ZM

——————————-

Vice-presidente:

Massayoshi Siraichi 

ATDL – DIST. IMPLEMENTOS RODOVIÁRIOS

——————————-

Secretário:

William Vilela

LOGOS MÁQUINAS PARA RETÍFICA LTDA.

—————————–

Diretor Social:

Marcos Flausino Dias

ABSD – INDÚSTRIA DE PEÇAS LTDA.

——————————-

Diretor Adjunto:

José Carlos Beckhauser

IRMÃOS BECKHAUSER

——————————-

1º Tesoureiro:

Paulo Cesar Maldonado

OMEGA TECNOLOGIA & SERVIÇOS LTDA.

——————————-

2º Tesoureiro:

Cláudio Leandro Zavatini

REALRODAS IND E COMÉRCIO

——————————-

Conselho Fiscal Titular:

José Doce Moreno

NAIFLA IND COM PROD PNEUMÁTICOS

Abílio Aparecido Teles da Silva

PRESSURE COMPRESSORES LTDA.

Roque Correa Junior

ENGRENAPEÇAS IND. E COM. DE PEÇAS LTDA.

Antônio Villaca Torres Junior

ORTOBIO INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE PRODUTOS ORTOPÉDICOS LTDA.

——————————-

Conselho Fiscal Suplente:

Mário Lamon

M LAMON IMPLEMENTOS AGRICOLAS

Mario Medeiros de Carvalho

MCR COMÉRCIO E INDÚSTRIA DE FERRAMENTAS EIRELI – EPPLTDA.

Claudionir Zavatini

REALRODAS IND E COMÉRCIO

Rafael Burdini Margonato 

M.S.F METALÚRGICA SANTA FÉ LTDA.

——————————-

Diretores:

José Carlos Beckhauser

IRMÃOS BECKHAUSER

Marcos Flausino Dias

ABSD – INDÚSTRIA DE PEÇAS LTDA.

José Sendeski Neto

KIDASEN IND E COM. ANTENAS

Antônio Villaca Torres Junior

ORTOBIO INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE PRODUTOS ORTOPÉDICOS LTDA.

William Vilela

LOGOS MÁQUINAS PARA RETÍFICA LTDA.

Abílio Aparecido Teles da Silva

PRESSURE COMPRESSORES LTDA.

Mário Lamon

M LAMON IMPLEMENTOS AGRICOLAS

José Doce Moreno

NAIFLA IND COM PROD PNEUMÁTICOS

Claudionir Zavatini

REALRODAS IND E COMÉRCIO

Roque Correa Junior

ENGRENAPEÇAS IND. E COM. DE PEÇAS LTDA.

——————————-

Delagados Represesentantes:

Carlos Walter Martins Pedro

HIDRO METALÚRGICA ZM

Massayoshi Siraichi 

ATDL – DIST. IMPLEMENTOS RO

IMG_3728

Encontro trata de Ação Regressiva Acidentária

Aconteceu na manhã do último dia 21, o 14º Encontro com RH – Palestra Jurídica com participação de empresas associadas ao Sindimetal.

O tema tratado foi: Ação Regressiva Acidentária.

Esses encontros acontecem na sede do Sindimetal mensalmente, com palestras explicativas ministradas pelo Departamento Jurídico, representado pelo advogado Reginaldo Farias.

O tema é amplamente discutido e os participantes podem tirar dúvidas que auxiliarão no trabalho do dia a dia. Aberto a todas as indústrias, participam representantes do RH e diretoria de empresas do setor metalmecânico.

Para o mês de março, outro encontro está programado.