_MG_1116 (1)

Feira Metalmecânica é lançada na ACIM

Na última segunda-feira(04), foi lançada oficialmente na ACIM a 12ª edição da Feira Metalmecânica em Maringá. O evento que é realizado pela Diretriz Feiras e Eventos conta com o apoio do Sindimetal Maringá e Senai Paraná.

O evento foi anunciado pelo Presidente do Sindimetal Maringá, Carlos Walter Martins Pedro, durante a reunião que acontece tradicionalmente às segundas-feiras na entidade. “A indústria está se reinventando em tempos de crise. Produzir está caro, mas não podemos desanimar. Temos que acreditar que vai melhorar e realizar eventos fortes como a Feira é acreditar nisso”, falou o presidente do Sindimetal.

O presidente da ACIM,  José Carlos Valêncio, aproveitou a oportunidade para firmar seu apoio e da entidade à Feira Metalmecânica. Valêncio ressaltou a importância da feira para o setor e para a economia de Maringá e região.

Sobre a Feira Metalmecânica:

De 25 a 28 de outubro, acontece em Maringá a 12ª edição da Feira Metalmecânica. Serão mais de 150 marcas expositoras, reunidas no Pavilhão Azul do Parque Internacional de Exposições de Maringá.

A Feira Metalmecânica,  é uma feira tradicional de negócios e referência do quarto maior pólo metalmecânico do sul do país. O setor impulsiona a economia e incentiva os avanços tecnológicos da indústria de máquinas e equipamentos. A Feira atrai entre os mais de quinze mil visitantes, representantes e compradores do extenso Parque Fabril paranaense e a presença cada vez maior de demandadores de bens de capital instalada no Mato Grosso do Sul e Sudoeste Paulista. Esta é uma oportunidade de contato direto entre empresa e comprador.

São segmentos com presença confirmadas na feira:

Máquinas

Ferramentas

Usinagem

Soldagem

Corte e conformação

Manutenção e operação industrial

Epi’s

Automação

Softwares, e muito mais.

Simultaneamente ao evento acontece o Fórum Potência que reunirá industrias com atividades relacionadas com o setor elétrico. Também a Eletron Maringá, feira sul brasileira da indústria eletroeletrônica, completando a mostra de tecnologias.

O Sindimetal e o Senai Paraná apoiam o evento e promovem juntamente com  parceiros como o Sebrae, rodada de negócios, com o IEL, banco de empregos, e com o Instituto Senai de Tecnologia, soluções e inovação para indústrias. Esta é uma excelente oportunidade de contato direto entre expositor, comprador e indústria. A realização e promoção da Feira Metalmecânica é da Diretriz Feiras e Eventos.

 

Agende-se:

 

Feira Metalmecânica em Maringá

De 25 a 28 de outubro,  no Parque de Exposições de Maringá

Evento técnico com mais de 150 marcas expositoras.

4773-Banner-Congresso-Empreendedor

Congresso do Empreendedor em Maringá será em setembro

Será em 25 e 26 de setembro, no teatro Calil Haddad, a partir das 19h30, o Congresso do Empreendedor, realizado pela ACIM e Sebrae. No dia 25 haverá palestras do empresário Eduardo J. Valério sobre sucessão familiar e da empresária Luiza Helena Trajano, que falará sobre a Magazine Luiza. No dia seguinte, as palestras serão do economista do Banco Votorantim Roberto Padovani, sobre ‘conjuntura econômica e política’, e do ex-vice-presidente de Marketing da Nestshoes, Roni Cunha Bueno.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas em www.congressodoempreendedor.com.br. Cada empresa associada tem direito a uma inscrição. O evento tem apoio de Certeza Consultoria Empresarial, Cocamar, Maringá Park, Sancor Seguros, Sanepar e Unimed.

81

Importante: Exclusão do ICMS na base de cálculo do PIS e da Cofins

AÇÃO GANHA PELO SINDIMETAL EM FAVOR DOS SEUS ASSOCIADOS

Na data de 15/03/2017 o STF julgou pela inconstitucionalidade do ICMS (Imposto sobre circulação de mercadorias e serviços) na base de cálculo do PIS e da COFINS, com repercussão geral.

Desta forma, encerrou-se a discussão que se arrastava desde 2003 sobre a constitucionalidade ou não desta matéria.

O Sindimetal, atento às evoluções da legislação tributária e em parceria com especialistas da matéria, já havia impetrado ação judicial para garantir a suas associadas os benefícios dessa decisão.

As indústrias de forma geral, que não ingressaram com ação judicial terão que aguardar a modulação desta decisão pelo STF para sua efetiva aplicação.

O Sindimetal já tem decisão judicial favorável para sua aplicação de forma imediata. Suas associadas poderão utilizar-se de eventuais benefícios desta decisão tanto para cálculos atuais de PIS e COFINS, quanto para obtenção dos créditos de valores pagos indevidamente nos últimos 05 (cinco) anos.

As indústrias interessadas deverão contatar o Sindimetal o mais breve possível e falar com Aline ou Dr. Reginaldo para obter maiores informações sobre o assunto e providenciar eventuais encaminhamentos.

Inauguração Casa da Industria

Casa da Indústria é inaugurada em Maringá

Em um coquetel que aconteceu no último dia 24 de agosto, foi inaugurada a Casa da Indústria em Maringá. A casa, que abre uma nova fase do Sistema Fiep, que extingue as coordenadorias, agora passa a atender vários sindicatos dentro de um só espaço. Localizada na Avenida Rebouças, (antiga sede exclusiva do Sindvest), a Casa da Indústria tem em suas instalações o escritório da Fiep em Maringá que atende a região noroeste, também o Sicppar (Sindicato de Curtimento de Couro de Maringá), Sindirepa (Sindicato da Reparação de Veículos e Acessórios), Sindvest (Sindicato da Indústria do Vestuário), Sipcep (Sindicato da Panificação e Confeitaria) e o Peiex.
A Casa da Indústria, de acordo com o Presidente da Fiep, Edson Campagnolo será uma casa para receber o empresário, validando um movimento da indústria em manter a força associativista.

 

2e637672-1bbf-4a72-acb7-6576a49a6c06

Reforma Trabalhista com foco no empregador é tema do 10º Encontro com RH

No último dia 23, na sede do Sindimetal aconteceu o 10º Encontro com RH, com a palestra ministrada pelo advogado do Sindicato, Reginaldo Farias.

O tema da palestra foi: Reforma Trabalhista, pontos de destaque para o empregador.

Participaram 14 indústrias.

O próximo encontro acontece no mês de setembro e o tema ainda será definido de acordo com a pesquisa realizada no encontro e respondida pelos presentes.

Mais informações, clique aqui!

 

b622464c-fcfa-4c9d-9e8d-1a9dc16bc908

Programa de Apoio a Competitividade realiza novo módulo de curso

Gestão de Tesouraria e Fluxo de Caixa foi tema do terceiro módulo do curso ministrado pelo Professor Jerry Kato no último dia 16 no Sindimetal Maringá.

O módulo contou com a participação de profissionais de Recursos Humanos, financeiro e administrativo de industrias associadas.

O curso é gratuito para as indústrias associadas e as vagas são limitadas.

O próximo módulo irá acontecer em 13 de setembro (quarta-feira) e tem como tema: Análise Financeiras e Balanço.

As inscrições podem ser realizadas diretamente por email: sindimetal@sindimetalmaringa.com.br

 

d69418d5-89bd-40d0-88ec-cf846d36b3ec b0988381-3fe5-4f30-8b65-af7a14192475

fb8ebfee-303a-4fe4-b947-bdbbb69035ab

Empresários realizam reunião de alinhamento do Exporta + Paraná

No último dia 17, aconteceu na sede do Sindimetal Maringá um café da manhã para reunião de alinhamento do Programa Exporta Mais Paraná.

Este programa, desenvolvido pelo Sebrae e realizado em parceria com o Sindimetal para as indústrias metalmecânicas, visa o conhecimento e abertura de mercado na América Latina.

Nesta reunião, os empresários puderam alinhas informações referentes aos próximos passos do programa e traçarem estratégias de conhecimento de mercado juntos aos técnicos do Sebrae.

Sobre o Programa: O Exporta Mais Paraná é um programa inovador  que busca gerar novas oportunidades de negócios e aberturas de mercado. Desta vez, o setor contemplado é o metalmecânico.

Saiba Mais

 

d8462c10-ead9-4af5-9098-d1293e71b9bf e4ec3457-ef2c-416b-a588-59a8d02668ca (1)

mm

Feira Metalmecânica acontece em outubro

De 25 a 28 de outubro, acontece em Maringá a 12ª edição da Feira Metalmecânica. Serão mais de 150 marcas expositoras, no Pavilhão Azul do Parque Internacional de Exposições de Maringá.

A Feira Metalmecânica,  é uma feira tradicional de negócios e referência do quarto maior pólo metalmecânico do sul do país. O setor impulsiona a economia e incentiva os avanços tecnológicos da indústria de máquinas e equipamentos. A Feira atrai entre os mais de quinze mil visitantes, representantes e compradores do extenso Parque Fabril paranaense e a presença cada vez maior de demandadores de bens de capital instalada no Mato Grosso do Sul e Sudoeste Paulista. Esta é uma oportunidade de contato direto entre empresa e comprador.

São segmentos com presença confirmadas na feira:

Máquinas

Ferramentas

Usinagem

Soldagem

Corte e conformação

Manutenção e operação industrial

Epi’s

Automação

Softwares, e muito mais.

Simultaneamente ao evento acontece o Fórum Potência que reunirá industrias com atividades relacionadas com o setor elétrico. Também a Eletron Maringá, feira sul brasileira da indústria eletroeletrônica, completando a mostra de tecnologias.  Com o sistema Fiep serão desenvolvidas apresentações de novas tecnologias, educação, inovação e serviços voltados à saúde e segurança do trabalho.

 

Agende-se:

Feira Metalmecânica em Maringá

De 25 a 28 de outurbro,  no Parque de Exposições de Maringá

Evento técnico com mais de 150 marcas expositoras.

 

Veja o Vídeo do evento: AQUI

 

 

Apoio:

Sindimetal Maringá

Sistema Fiep

 

Realização e Promoção:

Diretriz Feiras e Eventos

Mais informações e fotos: www.feirametalmecanica.com.br 

 

 

2010 x (1) Digitalizar0002 Digitalizar0006

carteira-de-trabalho-

Reforma Trabalhista – Empregadores: 14 pontos de destaque

LEI 13.467 DE 13 DE JULHO DE 2017 – REFORMA TRABALHISTA 

Governo sanciona a lei da Reforma Trabalhista

O presidente Michel Temer sancionou, na quinta-feira dia 13, a Lei 13.467, de 13 de julho de 2017, resultante do projeto de lei do Poder Executivo, aprovado pela Câmara dos Deputados e depois pelo Senado Federal, alterando disposições da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT. A Lei, Chamada de “lei da reforma trabalhista”, foi sancionada sem vetos, mas com promessas de edição de medida provisória para rever alguns pontos específicos.

A Lei foi publicada no Diário Oficial da União do dia 14 último, devendo entrar em vigor a partir de 11 de novembro de 2017 (120 dias após a publicação)

Vale destacar alguns pontos:

  1. Não consta como sendo à disposição do empregador:

O tempo que o empregado estiver na empresa por sua livre vontade para exercer atividades particulares: estudo, alimentação, descanso, lazer, troca de uniforme (quando for obrigatório), ainda que ultrapasse os 10 minutos diários de tolerância; ou o tempo despendido pelo trabalhador da sua residência até a efetiva ocupação do seu posto de trabalho, seja caminhando, ou por qualquer meio de transporte fornecido ou não pela empresa. Não será computado na jornada de trabalho, por não ser tempo à disposição do empregador.

  1. Banco de horas individual:

Até 6 meses, mediante acordo individual.

  1. Compensação/duração da jornada:

Mediante acordo individual, acordo coletivo ou convecção coletiva:

  • Instituir jornada de 12X36 (12 horas de trabalho x 36 de descanso);
  • Compensação mensal de jornada de qualquer forma, desde que não ultrapasse a jornada de 10 horas diárias;
  • Prestação em horas extras habituais não descaracteriza o acordo de compensação de jornada e banco de horas;
  • Se não ultrapassada a duração máxima semanal (44 horas) será devido apenas o adicional de horas de extras.
  1. Intervalo intrajornada:
  • A não concessão ou concessão parcial, implica no pagamento de natureza indenizatória, mas apenas ao período suprimido, com acréscimo de 50%;
  • Pode ser ajustado mediante acordo coletivo e/ou convenção coletiva a redução do intervalo intrajornada para 30 minutos.
  1. Não integra o salário para qualquer fim:

A Ajuda de custo, vale refeição (ticket), diárias para viagens, prêmios e abonos, assim como os valores relativos à assistência médica/odontológica, despesas com hospital, prótese, medicamentos, consultas, etc.

  1. Homologação da demissão:
  • Deixa de ser obrigatória a homologação pelo sindicato profissional;
  • Acaba a necessidade de concordância do Sindicato para demissões coletivas e/ou em massa, e a quitação do PDV passa a ser plena e irrevogável.
  1. Extinção do contrato por acordo entre empregado e empregador:
  • Mediante pagamento da metade do aviso prévio indenizado e da indenização do FGTS, além das demais verbas rescisórias;
  • O trabalhador poderá sacar até 80% do FGTS, mas não terá direito ao seguro desemprego.
  1. Termo anual de quitação:

É facultado às partes firmarem anualmente termo de quitação das obrigações trabalhistas perante o sindicato profissional, com eficácia liberatória das parcelas constantes.

  1. Prevalência do acordado sobre o legislado: nos temas:
  • pacto sobre jornada do trabalho, respeitados os limites constitucionais;
  • banco de horas anual;
  • intervalo intrajornada, respeitado o limite mínimo de 30 minutos;
  • programa Seguro Emprego (PSE);
  • plano de cargos e salários;
  • representante dos trabalhadores no local de trabalho;
  • teletrabalho;
  • regime de sobre aviso;
  • remuneração por produtividade, gorjetas e remuneração por desempenho individual;
  • troca do dia do feriado;
  • enquadramento do grau de insalubridade;
  • prorrogação de jornada em ambientes insalubres sem autorização dos órgãos públicos;
  • prêmio de incentivo;
  • participação nos lucros ou resultados das empresas (PPR).
  1. Convenções/Acordos Coletivos:

Duração pelo período máximo de 2 anos, vedada a ultratividade, ou seja, as cláusulas será validade somente durante a vigência da convenção ou do acordo coletivo.

  1. Representação dos empregados no local de trabalho:
  • Empresas com até 200 empregados estão dispensadas da Representação;
  • Com mais de duzentos e até três mil empregados, por três membros;
  • Com mais de três mil e até cinco mil empregados, por cinco membros;
  • Com mais de cinco mil empregados, por sete membros.
  1. Estabilidade dos Representantes:
  • Da candidatura até 1 ano após o término do mandato;
  • Vedada a reeleição nos 2 períodos subsequentes;
  1. Processo na Justiça do Trabalho:
  • A litigância de ma-fé pode ser punida com multa de 1 a 10% do valor corrigido da causa, além do pagamento dos honorários advocatícios e despesas da outra parte;
  • Aplica-se também a mesma pena à testemunha que, intencionalmente, alterar a verdade dos fatos ou omitir fatos essenciais ao julgamento;
  • A parte vencida caberá o pagamento dos honorários advocatícios da outra parte, devendo ser estabelecido em valor entre 5% e 15 % da condenação (aplicação do princípio da sucumbência);
  • Vencido o beneficiário da assistência judiciária gratuita, desde que tenha créditos capazes de suportar o ônus da sucumbência, ainda que em outro processo, arcará com os honorários;
  • Em caso de arquivamento do processo, o reclamante só poderá ajuizar de novo depois de pagar as custas processuais.
  1. Terceirização:
  • Toda e qualquer atividade da empresa pode ser objeto de terceirização;
  • A empresa terceirizada deve possuir capacidade econômica compatível com a atividade assumida;
  • Empregado demitido da empresa contratante não poderá pertencer ao quadro de empresa contratada antes do decurso de 18 meses (quarentena obrigatória);
  • Aos empregados da empresa terceirizada serão asseguradas as mesmas condições oferecidas aos funcionários da contratante: de alimentação quando fornecida em refeitório; (ii) transporte; (iii) atendimento médico/ambulatorial quando existentes nas dependências do contratante; (iv) treinamento adequado que a atividade exigir.

 

Dúvidas:

Poderão ser esclarecidas mediante consulta por meio do e-mail:

reginaldo@sindimentamaringa.com.br

JURIDICO – SINDIMETAL MARINGÁ

Reginaldo Farias

 

Fonte: ABIMAQ – Associação Brasileira de Maquinas e Equipamentos

55dbc7a5-209d-4deb-8ffb-c2590c815a63

Sindimetal Maringá participa do Lançamento do PELT 2035

Por meio da Federação das Indústrias do Estado do Paraná – FIEP, aconteceu o Lançamento do PELT 2035, na última quinta-feira (03), na Casa da Indústria em Maringá.

Com foco nas obras de infraestrutura da região de Maringá,  o objetivo do Plano Estadual de Logística em Transporte do Paraná é construir um Paraná moderno, competitivo, socialmente justo e ambientalmente sustentável. O material do plano é fruto de discussões e estudos realizados por lideranças setoriais, órgãos federais, estaduais e municipais, especialistas em cada modal e participantes das reuniões regionais ocorridas em todo o Estado, sobre a liderança de entidades da sociedade civil organizada.

 

PELT 2035

Mais informações no site: www.futuro10parana.com.br