rota

Indústria de máquinas demonstra melhora

Um dos principais motivos para a melhora nas exportações é o crescimento econômico da Argentina que representa 42,6% das compras feitas pela América Latina até agosto

Fonte: DCI

A exportação, que hoje representa 40% do faturamento da indústria de máquinas e equipamentos, está minimizando os impactos da crise no setor. Porém, o desempenho dos embarques não deve evitar uma nova queda na receita das fabricantes em 2017.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ), João Carlos Merchasan, disse que, apesar da previsão de retração de 2% neste ano, o setor começa a enxergar uma retomada do crescimento. “Começamos o ano com projeção de queda de 8% e fomos gradativamente diminuindo este número negativo”, explica.

Porém, ele destaca que a retomada das vendas ainda é muito baixa e o setor deve demorar um tempo considerável até gerar bons resultados. Um dos principais motivos para a melhora nas exportações é o crescimento econômico da Argentina, que representa 42,6% das compras feitas pela América Latina até agosto.

A soma das exportações no mês passado foi de US$ 835,53 milhões, alta de 14,9% ante julho e de 19,9% na comparação anual. Neste ano, acumulado até agosto, os embarques totalizaram US$ 5,6 bilhões, avanço de 6,7% sobre o mesmo período de 2016. Na mesma base de comparação, as importações recuaram 25,4%.

Vendas internas

Em agosto, o faturamento da indústria de bens de capital mecânicos atingiu R$ 6,09 bilhões, alta de 2,6% na comparação anual. Nos oito primeiros meses de 2017, o setor faturou R$ 44,15 bilhões, recuo de 4,1% ante igual intervalo do ano passado. Em relação ao emprego, o setor encerrou agosto com 288,395 mil funcionários, queda de 0,2% sobre o registro de julho. Na comparação com o mesmo mês de 2016, o número de postos de trabalho apresentou redução de 5,7%.

Fonte: Rota Metalmecânica