IMG_6893

Indústrias têm subsídio de 50% em programa de desenvolvimento em parceria com Sebrae

O Programa de Desenvolvimento do Setor Metalmecânico retomou as atividades neste segundo semestre e a expectativa é atender 40 empresas até dezembro. A iniciativa é do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Maringá (Sindimetal) em parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/PR) e Senai, e ainda há vagas disponíveis.

De acordo com o consultor do Sebrae/PR, Joversi Luiz de Rezende, as empresas inscritas recebem consultorias e orientações para sanar problemas no processo produtivo, inovar e aperfeiçoar produtos, conceber novas ideias, entre outros.

Além do atendimento individual, os empresários podem contar com ensaios tecnológicos. “Se uma empresa de molas ou de cabos de aço, por exemplo, precisa avaliar se o produto suporta determinado peso, viabilizamos a realização do teste”, acrescenta Rezende.

Paralelo às consultorias, o programa oferece um cronograma de encontros coletivos com a realização de palestras. Este ano já foi abordado o tema “Produção enxuta”, com foco em reduzir desperdícios. Os próximos encontros, ainda sem data definida, terão os seguintes temas: “Inovação de produto”, “Gestão da inovação” e “Tecnologia de processos, métodos e técnicas de produção”.

Durante um ano, cada empresa pode participar com até três projetos, por meio do Serviço de Inovação e Tecnologia (Sebraetec). Cada projeto pode ter valor máximo de R$ 25 mil ou R$ 75 mil, caso a indústria participe de três ao mesmo ano. O Sebrae/PR disponibilizou R$ 400 mil para atender os participantes do programa e, com isso, subsidia 50% do valor.

Interessados devem entrar em contato com a entidade pelo telefone (44) 3220-3434, o contato é a Josi. Mais informações podem ser obtidas no Sindimetal pelo (44) 3224-4186.

Inga metal

Programa do Sindimetal ajuda empresas a otimizar gestão

As 18 empresas que aderiram ao Programa de Apoio à Competitividade das Indústrias estão tendo a oportunidade de otimizar a gestão financeira e de custos. É que depois de um diagnóstico das necessidades, estas empresas estão recebendo consultoria para implementar ferramentas de otimização de matéria-prima, mão de obra, contas a pagar, contas a receber e giro de estoque. As consultorias tiveram início em junho e prosseguem até setembro, num total de 12 horas por empresa.

A Ingá Peças é uma das que aderiu ao programa desenvolvido pelo Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Maringá (Sindimetal) em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP). Segundo o proprietário, Cláudio Chiuchetta, após a análise de fluxo de caixa, estoque e produção, foi possível constatar a necessidade de reduzir o prazo de pagamento dos valores a receber, a necessidade de negociar aumento de prazo de pagamento junto a fornecedores e a redução do tempo de estoque, que hoje é em média de 120 dias. O empresário conta que a consultoria do programa do Sindimetal está sendo importante para complementar e validar o trabalho de outra consultoria que a empresa tinha contratado individualmente. “Este programa de competitividade veio somar ao trabalho que estamos fazendo. E o valor do serviço é bem interessante”, diz. Comercializando peças para implementos agrícolas, a Ingá Peças tem 22 funcionários e seis anos de mercado.

As consultorias estão sendo conduzidas por Jerri Kato, que tem ajudado as empresas a analisar custos de hora da mão de obra, a formar preço de venda e a estruturar o fluxo de caixa e resultados. Kato também foi o responsável pelo diagnóstico individual das empresas participantes, após visitas e aplicação dos questionários.

A FIEP custeia 80% do valor do projeto e a contrapartida cabe ao grupo de indústrias participantes.